Sábado, 18 de Novembro de 2017
 
    
   
Suinicultura :: Orientações para a utilização prudente de agentes antimicrobianos na medicina veterinária
Notícias » INTERNACIONAL
Orientações para a utilização prudente de agentes antimicrobianos na medicina veterinária
2015-09-18

Os agentes antimicrobianos são mais frequentemente utilizados em suínos para aliviar a diarreia na fase de desmame, infeções intestinais associadas à Lawsonia intracellularis e doenças respiratórias, muitas vezes relacionadas com o transporte e a tensão causada quando os suínos provenientes de explorações diferentes são agrupados ou quando os animais são mantidos em instalações com sistemas de ventilação inapropriados, métodos de alimentação inadequados e/ou medidas de biossegurança insuficientes.

Sempre que numa determinada exploração for detetada uma infeção que requeira a utilização de agentes antimicrobianos, deve proceder-se à análise aprofundada do problema e à adoção de medidas com vista a limitar a propagação e evitar a recorrência da infeção. Entre as eventuais medidas a tomar, incluem-se as seguintes:

evitar a utilização profilática de agentes antimicrobianos em leitões recém-nascidos (e após desmame), como parte de uma estratégia de saúde dos efetivos,

aplicar um sistema de produção «tudo dentro, tudo fora», através da limpeza e desinfeção em profundidade das unidades de produção quando ocorre a entrada, deslocação interna ou saída do efetivo,

isolar o organismo patogénico e ponderar uma estratégia de vacinação, se disponível (por exemplo, rinite atrófica),

verificar e garantir o correto funcionamento do sistema de ventilação e do ambiente geral das instalações, bem como assegurar a possibilidade de alteração das condições caso exista uma elevada frequência de doenças respiratórias recorrentes ou se as condições ambientais forem más (por exemplo, no verão, em que pode ocorrer um aumento drástico da temperatura e da concentração de amoníaco no ambiente, o que, se o sistema de ventilação não for ajustado, agrava as condições respiratórias),

definir estratégias alimentares adequadas baseadas na idade dos suínos, especialmente na altura do desmame,

evitar misturas dentro do efetivo ou colocar os animais em quarentena durante um período adequado antes da mistura,

reavaliar a gestão do desmame em casos recorrentes de diarreia de desmame (tendo em consideração, nomeadamente, a higiene, a idade dos animais, a utilização de sistemas «tudo dentro, tudo fora», formas de redução da tensão sofrida pelos animais e alternativas à utilização profilática de agentes antimicrobianos),

eliminar casos recorrentes de síndrome da disgalactia pós-parto, assegurando uma seleção adequada das porcas, boa higiene no parto e uma alimentação adaptada,

limitar a comercialização e a circulação de suínos, a fim de reduzir a propagação de infeções e organismos, como o Staphylococcus aureus resistente à meticilina (SARM).

Existe uma necessidade crescente de criação de sistemas integrados de produção de suínos que evitem a mistura de animais e minimizem o transporte de longa distância (por exemplo, explorações fechadas e uma abordagem integrada entre explorações de criação e de engorda).

Além disso, os objetivos de reprodução devem incidir não só em parâmetros de produção, mas também na crescente resistência às infeções. Deve ser adotada uma abordagem holística de prevenção da doença. 









Subscreva a nossa newsletter

 


FPAS - Federação Portuguesa de Associações de Suinicultores © Copyright 2014 - Todos os Direitos Reservados