Sexta, 24 de Novembro de 2017
 
    
   
Suinicultura :: Comissão Europeia prossegue com o armazenamento privado sem a opinião do comité de gestão*
Notícias » INTERNACIONAL
Comissão Europeia prossegue com o armazenamento privado sem a opinião do comité de gestão*
2015-02-24

O comité de gestão da UE não alcançou maioria suficiente nem contra nem a favor da proposta de armazenamento privado de carne de porco apresentada pela Comissão Europeia. A ausência de opinião do comité, a proposta segue e será aprovada unilateralmente pela Comissão. Espera-se que nos próximos dias o regulamento correspondente seja publicado no Diário Oficial da UE, estando em vigo ao terceiro dia da sua publicação (durante a próxima semana?). O embargo russo é a razão de fundo esgrimida pela Comissão, enquanto o argumento técnico para abrir esta medida agora é o preço médio da UE que se situou abaixo do preço de referência durante mais de 18 semanas consecutivas. Contudo, a ausência de opinião do Comité já revela as divergências entre Estados Membros a este respeito: França e Dinamarca têm sido defensores desta medida, enquanto Alemanha e Espanha têm-se posicionado contra já no Conselho de Ministros de Janeiro.

Os contratos de armazenamento serão por um período de 3, 4 e 5 meses (como sempre), mas o maior destaque vai para a forte redução da quantidade de ajudas – uma redução de 39% relativamente à última operação deste género, em 2011 (ver resumo seguidamente). Não esquecer que a Comissão actualizou amplamente a subida do valor das ajudas que não variaram desde início desta década (mas que ainda estão em vigor, -15% a -20% dos valores de 2000). O que parece que não se fixou agora foram as majorações/descontos diários, (o que indica que a que a Comissão quer “assegurar” a fiabilidade das suas previsões de saída para o mercado desta carne, desincentivando a retirada antes ou depois do especificado no contrato inicial).

O resto das especificações não variou: o período mínimo de permanência em câmara do género que ocorre a operação e se destina depois a exportação é de 60 dias, a quantidade mínima por contrato será de 10 toneladas para os produtos desossados e 15 toneladas para o resto, e exigir-se-á uma fiança de 20% do valor da ajuda concedida aos produtos contratados.

*A operação anterior de armazenamento privado desenvolveu-se de 1 a 22 de Fevereiro de 2007, devido à crise das dioxinas no norte da UE. Nessas 3 semanas fizeram-se contratos por um total de 144000 ton no conjunto da UE. Metade dos contratos foi a 3 meses e outra terceira parte a 5 meses. A Alemanha (país que desencadeou esta operação) ocupou então o primeiro lugar com quase 41000 ton contratadas (o triplo que em 2007), seguida pela Espanha (+38%), Dinamarca (-11%) e Holanda (o dobro que em 2007). Estes quatro países concentraram 2/3 (cerca de 70%) do total recebido da medida em 2011 na UE.

Fonte: Mercolleida

BALANÇO DO ARMAZENAMENTO PRIVADO EM 2011

Por duração

 

70.129 tn

 

53% do total

A 3 meses

A 4 meses

16.393 tn

12% do total

A 5 meses

45.231 tn

34% do total

Por produtos

 

6.590 tn

 

5% do total

Carcaças

Peças

23.715 tn

18% do total

Presunto

73.781 tn

56% do total

Bacon

7.905 tn

6% do total

Bacon sem cortes

11.585 tn

9% do total

Centros de peças

6.590 tn

5% do total










Subscreva a nossa newsletter

 


FPAS - Federação Portuguesa de Associações de Suinicultores © Copyright 2014 - Todos os Direitos Reservados