Sexta, 24 de Novembro de 2017
 
    
   
Suinicultura :: Rússia levanta parcialmente as restrições a seis países da UE
Notícias » INTERNACIONAL
Rússia levanta parcialmente as restrições a seis países da UE
2015-01-26

O acordo entre Sergei Dankvert, director do Rosselkhoznadzor, e o director geral para a saúde e segurança alimentar da Comissão Europeia, Ladislav Miko, foi alcançado durante a "Green Week" em Berlim, segundo informações vindas da Rússia.

A Rússia tinha imposto restrições veterinárias aos países da UE no início de 2014, banindo todas as importações de carne de porco, depois de um surto de Peste Suína Africana verificado nos Balcãs e na Polónia.

"Estamos a criar um calendário de inspecções às empresas [de produção de carne] em França, Hungria, Alemanha, Dinamarca e Holanda, que, após abolição do embargo alimentar e das restrições veterinárias relaccionadas com a PSA retomará as exportações para a Rússia
", declarou Dankvert.

Acrescentou que só os produtores com o mais alto nível de protecção biológica estarão autorizados a fornecer produtos cárnicos para a Rússia.

Ao mesmo tempo, Alexei Alekseenko, porta-voz da Rosselkhoznadzor, explicou que Moscovo não está preparada para levantar o embargo aos produtos agro-alimentares produzidos na EU e que essa decisão pertence exclusivamente às autoridades veterinárias russas. Alekseenko afirmou que os representantes da Comissão solicitaram aos veterinários russos o cancelamento das restrições à carne que não estivesse na "lista de sanções".

Produtos que não são abrangidos pelo embargo incluem gorduras, banha e miudezas.

A Rosselkhoznadzor afirmou que se a Comissão Europeia exigisse à Rússia a abertura de mercado para todos os produtores europeus, "não haveria abertura nem para esses seis países".

"Não podemos considerar a UE como um só mercado, e só assim poderíamos abrir o fornecimento de carne de porco e produtos derivados à Rússia [por todos os produtores da UE]. Isto não é possível dada a difusão activa e em larga escala da PSA por toda a UE. Caso se insista na posição [de abertura do mercado russo a todos os países], a Comissão corre o risco de não só não atingir o seu objectivo, como pôr em causa a abertura de fronteiras para os seis países", podia ler-se na nota de imprensa da Rosselkhoznadzor.

Contudo, o levantamento parcial do embargo é visto pelos especialistas industriais russos como algo necessário de ser feito pelas autoridades. "Com o passo anunciado, o embargo não será retirado - apenas algumas restrições no fornecimento de carne de porco e, em primeira instância, produtos usados na indústria transformadora. Sem que esta medida seja tomada, muitas indústrias abrirão falência este ano, uma vez que não encontraram alternativas de fornecimento desses produtos, desde o início do embargo, no início do ano transacto", disse o analista agrícola russo Eugene Gerden.

De acordo com a União de Gado e Mercado da Carne Europeia, em 2013 a UE exportou cerca de 251 000 toneladas de gordura e banha de porco e 96 500 toneladas de miudezas edíveis para a Rússia, o que representou 46,7% das exportações totais de carne de porco da UE para a Rússia. O volume de negócio resultante da exportação destes produtos significou 395 milhões de Euros.

Fonte: GlobalMeatNews.com









Subscreva a nossa newsletter

 


FPAS - Federação Portuguesa de Associações de Suinicultores © Copyright 2014 - Todos os Direitos Reservados