Sexta, 24 de Novembro de 2017
 
    
   
Suinicultura :: Ministra da Agricultura visita a 22ª edição da Feira Nacional do Porco
Notícias » FPAS
Ministra da Agricultura visita a 22ª edição da Feira Nacional do Porco
2014-09-28

Palavras proferidas pelo Presidente da FPAS na altura:

1-Exma Senhora Prof. Dra. Assunção Cristas, Ministra da Agricultura  e do Mar

2-Exmo Senhor Eng.º Nuno Canta Presidente da Câmara Municipal do Montijo

3-Exmos autarcas presentes

4-Exmos representantes da Administração Pública

5-Exmos dirigentes associativos

6 –Exmos Senhores expositores

7-Amigos suinicultores

8-Senhoras e Senhores

 Em nome da FPAS e a ALISP, entidades organizadoras desta XXII Feira Nacional do Porco AGRADEÇO:

   - A toda a equipa que me orgulho de comandar, pela determinação com que trabalhou para tornar possível este evento;
 - À Câmara Municipal do Montijo e à União de Freguesias de Montijo e Afonsoeiro pelo apoio, disponibilidade e meios que nos concederam;
 - Ao Crédito Agrícola pelo importante patrocínio e apoio ;
 - e a todos vocês, empresas e empresários que directa e indirectamente tornaram esta feira, numa referência Ibérica da Suinicultura. Obrigado em nome da fileira do porco em Portugal.

Devolver a ESPERANÇA e o investimento ao sector Suiníicola é o principal objectivo que nos move. Esperança que permita trazer jovens a acreditar e a apostar no sector de forma a que rapidamente sejamos auto-suficientes em carne de porco no nosso País.
Não me canso de repetir, somos uma actividade com futuro, temos condições privilegiadas para produzir porcos no nosso país, uma vez  que:
-Temos terra e água abundantes, temos clima invejável, temos saber como os melhores.

Condições necessárias para o sucesso.

Começamos, também a ter um Estado, que finalmente sentimos como parceiro, e a entender que esta é uma actividade que o País precisa. Sentimos que fundamentalismos que nos perseguiram no passado, e em alguns casos infelizmente, ainda perseguem, começam a ficar na gaveta. Que se começa a legislar em prol de quem quer produzir com sustentabilidade e respeito pelas normas legais, e não contra quem quer produzir.

Prova disso a recente aprovação pelo Conselho de Ministros de diploma que estabelece com caracter extraordinário, o regime de regularização e de alteração ou ampliação de explorações pecuárias, incompatíveis com os PDM, ou com condicionantes de uso do solo. Falamos do lendário REAP, que não sendo em muitos casos exequível, condicionou o acesso de muitas explorações a investimentos no PRODER, limitando a modernização das mesmas e o desenvolvimento do sector.

Começamos a ver um Estado determinado em abrir canais à exportação, condição essencial para fugir à concentração da procura, que se verifica em Portugal, e que tanto nos tem prejudicado.

Nós temos equipas, de Norte a Sul, das raças autóctones às exóticas, falamos uma só voz. Temos ideias e dinâmicas inovadoras exequíveis para relançar o sector. Se todos, Administração, Suinicultores e profissionais da fileira, rumarmos no mesmo sentido, atingiremos os objectivos que pretendemos.

Queremos ajudar a preencher o interior rural do País. Queremos deslocalizar as explorações ou parte delas de onde sejam um problema, para onde possam ser uma oportunidade. Essa é a menina dos nossos olhos, pela qual temos batalhado com êxito.

Chamamos-lhe SEGMENTAÇÃO DE CICLO e dar-nos-á a oportunidade de repensar, reestruturar e redimensionar as explorações, de forma a aumentar-lhes a rentabilidade e a competitividade, resolvendo problemas de território e ambiente, contribuindo para a melhoria da produtividade da agricultura em geral, através da incorporação de nutrientes orgânicos no solo, com todos os benefícios para o ambiente, sustentabilidade rural e balança de pagamentos.

 Aproveitar o próximo PDR para levar a efeito este tipo de investimentos, é uma oportunidade que nós Suinicultores não devemos desperdiçar.

Pretendo destacar também a recente fundação do FILPORC –Associação Interprofissional da Fileira da Carne de Porco, veículo fundamental para o desenvolvimento de todo o sector, que demonstra que a fileira está unida em torno de objectivos comuns.

Destaco ainda pela sua importância, os três protocolos que iremos amanhã celebrar, nesta XXII Feira Nacional do Porco:

- Com a UTAD – Universidade de Trás-os-Montes, que visa a participação em projectos de investigação, desenvolvimento, formação e transferência de tecnologia, em produção suinícola, que nos munirá com o necessário conhecimento, para finalmente podermos tomar posições de defesa dos suinicultores portugueses, com base em critérios científicos.

 - Um outro com o INIAV (Polo da Estação Zootécnica Nacional) que tem por objectivo o aprofundamento de estudos, apoio, e dinamização raça Malhado de Alcobaça, importante património genético, em sérios riscos de extinção em Portugal, e

- Ainda um terceiro com o INIAV e a EDIA, tendo em vista o desenvolvimento de unidades experimentais de compostagem, visando a valorização agrícola dos dejectos suinícolas e dos subprodutos agrícolas e agro-industriais.

Cremos que são passos importantes no desenvolvimento de um sector que, apesar das potencialidades, enfrenta pesados constrangimentos que temos que ultrapassar:

- Temos de ultrapassar o excesso de zelo e diferenças de critério, muitas vezes regionais, de alguns funcionários administrativos, relativamente a interpretações de assuntos ambientais.

- Temos de ultrapassar este regime que aplica coimas equivalentes às aplicadas a multinacionais petrolíferas, levando ao encerramento de explorações.

- Temos, Sra. Ministra, de ultrapassar as objecções ao uso de Soja OGM, e que Bruxelas decida politicamente sobre a autorização de importação das 8 variedades propostas à Comissão Europeia.

- Temos de ultrapassar o impacto negativo que o embargo russo está a causar na economia do nosso sector.

Senhores e Senhoras

Hoje felizmente as oportunidades para suinicultura, são mais que os problemas. Felizmente que ultrapassados estão os tempos em que só descortinávamos dificuldades. Renasceu a esperança na Suinicultura em Portugal. Alegra-me que em tempo de vacas magras, e de dificuldades gerais para as empresas e para os portugueses, esta XXII Feira Nacional do Porco, tenha a representatividade, e a dinâmica que aqui estão bem demonstradas.

Obrigado a todos, autarcas do Montijo, patrocinadores, expositores, palestrantes, representantes da administração pública, suinicultores, dirigentes associativos, colaboradores, que trabalharam para tornar esta numa importante referência Ibérica do sector Suinicola.

Preparar 2016 começa na próxima segunda-feira. Tornar esta feira, numa referência Europeia do sector, será o próximo objectivo.

 

Muito obrigado a todos.












Subscreva a nossa newsletter

 


FPAS - Federação Portuguesa de Associações de Suinicultores © Copyright 2014 - Todos os Direitos Reservados